Amazonas Brasil Destaques Economia

Potássio do Brasil recebe mais três licenças de instalação para a implantação do projeto Potássio Autazes

AMAZONAS – A Brazil Potash Corp. (“Brazil Potash” ou “Empresa”), através da sua subsidiária integral Potássio do Brasil Ltda., recebeu três Licenças de Instalação nesta sexta-feira, 26 de abril de 2024, do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (IPAAM), órgão licenciador ambiental do Governo do Amazonas, para dar continuidade a implantação do Projeto Potássio Autazes, no município de Autazes, a 112 km de distância de Manaus. As três Licenças de Instalação autorizam a construção de um porto fluvial às margens do Rio Madeira, um Terminal de Embarque de Minérios e a perfuração de dois poços de captação de água para o Projeto Potássio Autazes. Assim, aumentamos o total de Licenças de Instalação emitidas para quatro, de um total previsto de onze, para a construção do Projeto de Potássio Autazes, e as demais Licenças de Instalação estão previstas para serem emitidas em breve. Quanto ao tamanho, o porto de barcaças terá maior capacidade que os portos do Arco Norte (Itacoatiara, Vila do Conde e Santarém) juntos, que são via de entrada de fertilizantes importados na Bacia do Amazonas, e recebem em torno de 1,7 milhões de toneladas. O porto da Potássio do Brasil na Vila de Urucurituba, em Autazes, sozinho, vai encaminhar 2,4 milhões de toneladas de Cloreto de Potássio totalmente voltado para o agronegócio brasileiro.  A primeira Licença de Instalação para a empresa referente a construção dos poços da mina subterrânea foi emitida no último dia 08 de abril em um evento onde participaram, além do Governador Wilson Lima e do Presidente do IPAAM, Juliano Valente, várias autoridades, entre outros, o vice-governador Tadeu de Souza; os deputados estaduais Sinésio Campos, Alessandra Campelo, Abdala Fraxe, Adjuto Afonso, João Luís; o deputado federal Silas Câmara; o presidente da Associação Amazonense de Municípios e prefeito de Rio Preto da Eva, Anderson Souza; o prefeito de Autazes, Andreson Cavalcante; o prefeito de Humaitá, Dedei Lobo; secretários de Estado, como o de Energia, Mineração e Gás, Ronney Peixoto; e representantes dos setores comercial e do povo indígena Mura. Vale reiterar que a Potássio do Brasil cumpriu o protocolo das Nações Unidas da Convenção da Organização Internacional do Trabalho (OIT-169), que prevê a consulta livre, prévia, informada e de boa-fé às populações indígenas para o Projeto Potássio Autazes. Durante o processo, o Projeto Potássio Autazes foi aprovado por mais de 90% das 34 aldeias de um total de 36 que compõem o povo Mura de Autazes, que ultrapassa amplamente a exigência de aprovação por pelo menos 60% dos votantes. Desde que recebeu a primeira Licença de Instalação, a Potássio do Brasil já iniciou as suas atividades de implantação do Projeto Potássio Autazes, com a elaboração dos estudos detalhados de engenharia, revisão detalhada dos cronogramas das atividades e primeiras cotações de serviços que estão no caminho crítico, incluindo o serviço de perfuração de um segundo furo geotécnico de cerca de 1.000 metros de profundidade para obtenção de informações técnicas importantes para perfuração e construção do poço. “Com a emissão das Licenças de Instalação da mina, do porto, do terminal de embarque e dos dois poços de captação de água, a empresa está pronta para dar início às atividades de construção no campo, com a mobilização de pessoal e equipamentos, dentro das áreas previstas e aprovadas pelo órgão ambiental”, destacou o presidente da Potássio do Brasil, Adriano Espeschit. A empresa também começou a receber currículos de interessados em trabalhar no Projeto Potássio Autazes. Uma página específica foi criada no site da empresa, para que as pessoas interessadas possam submeter seus currículos, em http//www.potassiodobrasil.com.br/trabalhe-conosco. Em menos de 3 semanas já recebeu centenas de manifestações de interesse foram recebidas da comunidade interessada em participar da construção do Projeto Potássio Autazes. Para os potenciais fornecedores de produtos e serviços, a empresa também criou um cadastro específico em http://www.potassiodobrasil.com.br/fornecedores e, também, já recebeu um volume grande de interessados. Apresentações sobre o Projeto Potássio Autazes estão planejadas para as próximas semanas para interessados em participar de processos de contratação de produtos e serviços durante as obras e, mais a frente, durante os mais de 25 anos de operação do Projeto Potássio Autazes. Mais informações sobre o Projeto Potássio Autazes podem ser encontradas no site oficial www.potassiodobrasil.com.br e nas redes sociais, e convidamos a todos a subscreverem no site para receberem novas noticias sobre os progressos do empreendimento. SOBRE A BRAZIL POTASH – A Brazil Potash Corp, vem desenvolvendo o Projeto Potássio Autazes no estado do Amazonas desde 2009, através da sua subsidiária integral Potássio do Brasil Ltda. A empresa possui investidores brasileiros, ingleses, australianos e canadenses, somando 15% de investidores nacionais e 85% são investidores estrangeiros, com perspectivas de atração de mais investidores brasileiros à medida que o Projeto é desenvolvido. 
***Com informações de assessoria

Related posts

Governo autoriza a nomeação de mais 52 policiais rodoviários federais

Redação

Putin se isola após constatar casos de covid-19 próximos a ele

Redação

Surpreendente Marrocos enfrenta França em busca de vaga na final

Redação

Deixe um comentário